Execução da diretora do presidio Bangu I

No dia 06 de setembro de 2000, uma quarta-feira, por volta das 18:30 hs, a diretora do presídio de segurança máxima Bangu I, era executada quando chegava de carro oficial a sua residência no bairro da Ilha do Governador. Imediatamente comparecíamos ao local junto com a criminalística , onde várias autoridades do Estado também se faziam presentes, ficando demonstrado pelos exames iniciais de local do crime de que os criminosos conheciam bem o local; esperavam a vítima na porta de sua residência e tinham informações privilegiadas sobre a escolta policial que fora dispensada naquele dia, a pedido da vítima. No seguimento das investigações, declarações eram prestadas, denuncias eram verificadas e medidas cautelares de interceptação telefônica e quebra de sigilos telefônicos, eram representadas a justiça, com o intuito de se comprovar as suspeitas. Passados alguns dias éramos tomados de surpresa pois era anunciada a transferência abrupta da Autoridade Policial que presidia os autos e conseqüentemente todos deixávamos aquela apuração.



Pensamentos

“ A criação do banco pedagógico de Talentos, pela Secretaria de Segurança Pública do Estado do Rio de Janeiro, não pode se transformar em mais uma frustração policial”

- Daniel Gomes -